Atualizada em 21/12/2015 - Administração

COMUNICADO - COMBATE AO MOSQUITO DA DENGUE

 

Srs. Moradores:

 

O Residencial 9 ao tomar conhecimento de residências desabitadas, especialmente aquelas com piscinas, notifica os proprietários e Vigilância Sanitária e passa a monitorar o local com possíveis focos de água parada. Mantém a aplicação de inseticida de forma           atomizada em áreas públicas de todas as Alamedas para combate ao mosquito adulto, com aplicações semanais, alternando aplicações no início da manhã com aplicações no início da noite.


Caso forem identificados casos de residência abandonada, e comprovada negligência do proprietário com sua manutenção e limpeza, o Residencial com o apoio da Vigilância Sanitária e Prefeitura tomam as providências necessárias para a devida limpeza e, inclusive, se for o caso, a retirada da água da piscina abandonada, tudo dentro da legalidade e regras estatutárias.


A vistoria em obras e reformas sem morador também é intensificada pelo Depto. Técnico, tudo para evitar a proliferação de mosquitos.


 Sabendo que o mosquito da dengue não se desloca a grandes distancias, com uma área de atuação de no máximo 300 metros do seu criadouro, em mais de 90% dos casos, o Aedes Aegypti procria em ambiente doméstico, por isso, solicitamos que cada morador colabore, zelando pela eliminação dos possíveis criadouros em sua casa e permitindo a entrada dos agentes da vigilância epidemiológica e funcionários do Residencial quando solicitado. É essencial manter recipientes como caixas d'água, barris, tambores, tanques e cisternas, devidamente fechados. Não deixar água parada em locais como: vidros, potes, pratos e vasos de plantas ou flores, garrafas, latas, pneus, panelas, calhas de telhados, bandejas, bacias, drenos de escoamento, canaletas, blocos de cimento, folhas de plantas amontoadas, tocos e bambus perfurados, de árvores e plantas que armazenem água, como as bromélias. Também são criadouros potenciais calhas entupidas, lajes, vasos sanitários pouco utilizados e todo tipo de recipiente e objeto que pode armazenar água, especialmente da chuva, além de outros locais em que a água da chuva é coletada ou armazenada.

Até mesmo pequenas quantidades de água são suficientes para o desenvolvimento da larva do mosquito da dengue. Por isso, é necessário atenção também aos pequenos criadouros, como tampinhas de garrafa, cascas de plantas e objetos expostos ao tempo. Com a eliminação dos criadouros preferenciais, o Aedes Aegypti começa a colocar seus ovos em locais menos usuais, como o trilho da porta do box no banheiro e as aberturas utilizadas para fixar escadas e redes de piscina. Há relatos que já foram encontradas larvas até mesmo no reservatório de água de ferro de passar roupa a vapor. Também é importante desentupir calhas e escoar a água acumulada sobre as lajes. Todo lixo deve ser eliminado.

Contamos com a colaboração dos Srs. Moradores para um melhor resultado nesta campanha. Nossa Administração está à disposição, pessoalmente ou pelo telefone 4152-0900, para esclarecer quaisquer dúvidas dos serviços prestados pelo Residencial.

                                                                                                A DIRETORIA